segunda-feira, 28 de março de 2011

Sempre irei te acompanhar Gabriel


Por mais que eu sinta seu toque. Tenha vontade de fazer o mesmo. E meus braços clamem por um abraço... Talvez, um dia, eu possa te dar.
À medida que você faz carinho em meus dedos, aperta minha mão, ajeita meu cabelo e com isso afaga meu coração... Quero muito te corresponder. Te acompanho docemente com os olhos, à partir de movimentos que vão e vem e que vem e vão.Sinto uma maneira que posso me expressar. Inicialmente meio tímido, um sorriso posso te ofertar. Agora, um pouco, menos tímido escancaro um sorriso, que tanto minha acompanhante clamava.
Com à ajuda sou retirado de minha cama e em minha cadeira de rodas vou me instalar.Para você pode até parecer desconfortável, despertar pena, vontade de chorar e sentir-se culpada por reclamar tanto da vida, sendo assim física e psicologicamente sem limitações.
Talvez se fosse possível escolher, antes de nascer, qual situação gostaria de estar poderia eu.... Querer brincar de bolinha de gude e acertar um monte delas com apenas uma ‘jogada’’... Também poderia jogar bola. Apesar de a maioria sonhar ser o artilheiro, camisa 10, jogar no time da rua e evoluir para o da cidade, um do estado e depois servir a seleção. Ganhar uma Copa e depois ser vendido para o exterior...Eu me contentaria em ser goleiro, elaborar minhas próprias camisas e defender única e exclusivamente um time pra vida toda. Poderia também viver correndo por aí. Brincar de pique-pega. Esconde-esconde. Rouba bandeira. Soltar pipa. Montar quebra cabeça. Bater figurinhas. Brincar de pirata. Apostar corrida no autorama. Brincar de lutinha...Entretanto nenhuma dessas ainda não pude realizar...Nem em sonhos.
Mas nem por isso sou triste ou descrente da vida. Olhem só: Posso te ver, te ouvir, tentar te tocar mais forte, te sentir, te fazer sorrir...
E despertar em você o desejo de VIVER.

24/03/2008

Um comentário:

  1. Intenso!! Me tocou bem no fundo mesmo!
    Sempre bom ler-te!

    Beijos!

    ResponderExcluir